Viajante Maricler na FEICON BATIMAT – São Paulo

O Viajante Maricler esteve visitando a 22ª FEICON BATIMAT, em São Paulo, dia 16 de abril, que é um evento de referência da Construção Civil na América Latina. Um evento para arquitetos, construtores, revendedores, distribuidores e representantes, onde são exibidos lançamentos de produtos e novas tecnologias.

Maricler Feicon 2016

Maricler Feicon

A Feira é ideal para conhecer as novas tendências de mercado, fazer negócios e conhecer novas marcas e distribuidores. Além dos estantes, tem um ótimo conteúdo sobre o ramo nas palestras, congressos, debates, visitas técnicas e demonstrações, fazendo do evento uma experiência profissional única.

A Feicon se divide em setores da construção civil para uma melhor organização da feira. Os setores são: Aquecimento e Refrigeração de Ambientes; Automação e Segurança; Fechadura, Ferragens e Cadeados; Hidráulica; Portas, Janelas e Acessórios; Revestimentos; Serviços Profissionais e TI; Tintas, Vernizes e Acessórios; Área Externa e Lazer, Elétrica e Iluminação; Fundação e Estrutura; Máquinas, Ferramentas e Equipamentos para Construção; Produtos para Cozinhas e Banheiros; Sistemas Construtivos; Teto e Cobertura.

Feicon 2016Feicon 2016Feicon 2016Feicon 2016Feicon 2016Feicon 2016

O evento ocorreu no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. O local dispõe de 77,7 mil m² de área de exposição, necessário para comportar toda a grande variedade de expositores da Feicon. Na sua 22ª edição, a feira conta com mais de duas mil marcas nacionais e internacionais, que devem atender os diversos profissionais da construção civil.

O diretor do evento, Alexandre Brown, afirmou que, este ano, tiveram um recorde de pré-credenciados: foram 60 mil profissionais cadastrados. “A Feicon Batimat já é referência para o setor de construção civil e sentimos isso desde o primeiro dia de evento, quando tivemos uma participação maciça dos profissionais do segmento interessados em conhecer as grandes novidades, tendências e inovações que estão presentes no evento”, disse o diretor para o site do Anhembi.

O evento vai muito além de conteúdo e exposição de produtos: o ambiente é ideal para que os expositores e compradores ampliem seu networking. “Criamos ainda o ambiente ideal para que expositores e principais compradores possam fechar negócios, alavancando os números e realizando networking”, afirmou o diretor do evento na mesma entrevista.

Anúncios

Parque de la Ciutadella – Barcelona

Parque de la Ciutadella – BarcelonaLocalizado no meio do centro de Barcelona, na Espanha, o Parque de la Ciutadella é considerado o pulmão verde da cidade. Lugar de encontro de moradores da cidade e turistas, muitos vão ao parque para fazer pic-nic, tomar uma cerveja ou simplesmente deitar na grama e ver o tempo passar. O parque é um dos mais extensos de Barcelona e grande parte do seu terreno é composta por gramados, arvoredos e o lago.Alkn5w7CKF3T2nGkLiguCsjVe2vfR5DxvSGi7zS09UyS

O terreno que o parque ocupa foi uma fortaleza construída pelo Rei Felipe V, no século XIX (por isso o nome Ciutadella). Já em 1869, o lugar deixou de ser uma fortaleza e tornou-se um parque, este que abrigou a Exposição Universal de 1888, quando o Arco do Triunfo foi construído para ser a porta de entrada do evento. Hoje, o Arco é um símbolo de Barcelona.

Ald0a0V8qSnJtSbu_DZreHJ4DGxoFFq8HvDDmxGbmr_wb11813bd-769d-4a66-b4d7-06042f06d968

O parque abriga o Parlamento de Catalunha, que fica no edifício do antigo arsenal. Há também um Instituto de educação secundária, na antiga casa do governador da Ciutadella e uma réplica de um grande mamute, em tamanho real.

O projeto do mamute, na verdade, englobava distribuir vários outros animais pré-históricos pelo parque, porém o dinheiro foi suficiente somente para o Mamute. Além de tirar foto com o mamute, é possível andar de barco pelo lago e jogar algumas partidas de tênis de mesa. Outra opção é dar um pulo no Zoológico de Barcelona, que fica junto do parque.

Outro ponto importante no Parque de la Ciutadella é a Cascata Monumental, que levou contribuição de Antoni Gaudí, famoso arquiteto e importante figura do Modernismo catalão. A cascata é um monumento com esculturas, quedas d’água e uma gruta artificial, que se encontra debaixo da cascata.

Diversas esculturas podem ser apreciadas no parque, como o Monumento al General Prim, o Monumento dedicado a Bonaventura Carles Aribau, o busto de Marià Aguiló, o Monumento a Walt Disney e vários outros. No espaço dedicado ao zoo fica a célebre escultura Dama del paraguas, considerada tradicionalmente como um dos símbolos da cidade.

Museu de Artes e Ciências – Valência, Espanha

Ciutat de les Arts i les Ciències ou Cidade das Artes e das Ciências é um complexo cultural, arquitetônico e de entretenimento em Valência, na Espanha. Foi criado por Santiago Calatrava e Félix Candela, que deram início à execução do projeto em julho de 1996, mas sua inauguração foi em 16 de abril de 1998.

4

O complexo é formado por sete prédios na Cidade das Artes e das Ciências:

L’Hemisfèric – o primeiro prédio a ser inaugurado possui uma grande sala de Cinema Imax, projeções a laser e planetário.

El Museu de les Ciències Príncipe Felipe – um museu interativo de ciências com várias atrações, como a “Zero Gravidade”,  “Floresta de Cromossomo”, “Academia Espacial” e “Super-heróis Marvel”. A regra nesse museu é simples: é proibido NÃO tocar. A intenção é mesmo a interação.

L’Umbracle – um grande jardim com uma trilha para caminhar, cercada por plantas selvagens, além de uma galeria de arte com esculturas de artistas contemporâneos.

L’Oceanogràfic – com cerca de 42 milhões de litros de água este é considerado o maior oceanógrafo da Europa. Apresenta uma cidade submarina de 80.000m², com túneis de vidro e réplicas de ambientes marítimos com águas de diferentes qualidades, que permitem conhecer as 500 espécies de seres marítimos. Ainda conta com um restaurante flutuante submarino, uma fonte para espetáculos de luz, água e som, além do maior aquário da Europa para espetáculos.

El Palau de les Arts Reina Sofía – uma opera house dedicada às artes cênicas e música. Comporta quatro grandes salões: Salão Magisterial, Salão Principal, Teatro de Câmera e Anfiteatro.

El Puente de l’Assut de l’Or – uma ponte suspensa que liga o lado sul com a rua Menorca. Seu ponto mais alto tem 125 metros de altura.

A Praça Principal – uma praça coberta gigantesca, destinada a eventos como performances, concertos, congressos, etc.

1110258

Além destes, também fazem parte da Ciutat de les Arts i les Cièncie As Torres de Valência, Castellón e Alicante: um projeto que consiste na construção de três arranha-céus de 308m, 226m e 220m.

91

Claro que, além de apreciar o passeio no complexo por todas as suas atrações, a arquitetura dos prédios é de cair o queixo. Uma cidade com design moderno e futurístico que deve ser apreciada nos mínimos detalhes. Não deixe de visitar se estiver na Espanha!

Sagrada Família – Barcelona

A Sagrada Família é o símbolo que lembramos quando falamos em Barcelona. Criada por um dos arquitetos mais reconhecidos e renomados do mundo, Antoni Gaudí, a igreja teve sua obra iniciada em 19 de março de 1882, porém seu fim ainda é incerto. Sua finalização está prevista para 2026, mas pode estender-se até 2028. Porém, quem sabe?!

AuFtYHFMFxzRTNGO09ZxWApx_qkX36m6MR0p23wT6X5UAnvWF7ni79GUwT36SYFXzSTC8lxEVQRtC8KPPRKlO33Q

A visita ao templo da Sagrada Família é um clichê necessário: o valor arquitetônico da criação é imensurável, além do seu peso histórico e simbólico dentro do contexto de Barcelona. Muitas pessoas e filas enormes vão ser quase inevitáveis, afinal é o monumento mais visitado da Espanha, recebendo mais de 10 mil visitas diárias durante o verão.

Gaudí abandonou o antigo plano neogótico e propôs um projeto inovador, tanto no modelo de construção, quanto nas formas e estruturas: uma igreja de gigantesca, com torres altas e com arquitetura e escultura carregada de simbologia religiosa. Para o arquiteto, nada como dar início a edificação pela fachada da Natividade. Talvez por ironia do destino, essa foi a única fachada pronta vista por Gaudí, que faleceu em Junho de 1926, aos 74 anos de idade.

AtiuzD9fLmNxGURZN4ua5bRWhmYplS1Z2HwSwJCjZl-oAv7eb0lh7qBeugEu80qPKEJT0G27zYD0okGsBzmZ8AThAozWPZQrHQmJzz96n3R_al6sF7Oc7ixWbYnr1HfnZp_B

Para conseguir observar todos os detalhes do local, reserve três horas do seu passeio. Mas não se assuste, essas três horas passam rapidinho. São inúmeras esculturas esculpidas nas paredes externas da igreja, todas elas repletas de curiosidades e simbolismos.

Como você pode ver nas fotos, a Sagrada Família é majestosa, não é à toa que sua obra continue em andamento: uma construção gigantesca, com milhares de detalhes. A igreja tem capacidade para 14.000 pessoas e seu tamanho é quase igual ao de um campo de futebol. Além de muita criatividade, Gaudí precisou estudar muita engenharia para botar em prática: 4.500m², 60m de altura no pé direito da abóbada sobre o altar e 125m de altura nas torres que já foram construídas.

O artista criador dessa igreja monumental pensou mesmo em todos os detalhes e estudou-os um por um. Por exemplo, para conseguir as melhores poses para criar as estátuas ele usou modelos, além de calcular cuidadosamente os tamanhos delas para ter uma escala ideal, indiferente da altura que essa estátua fosse instalada.

AnYp3iRk0AkvsG0KmdkBdewNumZLECrU2YX8K1WOXNFfAkJtLjkcVXeXx6YqMVwmOF-ljGSSNDmXVBzfVyE-tBN2AkOtF68UiUlP6aBdg5e_3BIofs5782mxUIfvFnmEgKlyAjEtM6IKqJ7kHXF_mtXDFTtCOKPnmq5FeZmcWrlbpbMAAg5i6MNjUBbqeE-cbCtVxwfo0chRyUab5aVRDpZBp5ldArpZaw3t5qMIbLKfMntk-tpdghHg2g71i2k5jnnsXu3m

Nesse imenso templo você encontra um túmulo: depois de 40 anos de sua vida dedicado à sua criação, nada mais justo que Antoni Gaudí esteja sepultado dentro de sua maior obra.

Universidade de Coimbra

A Universidade de Coimbra, localizada na cidade de Coimbra, Portugal, é uma das universidades públicas mais antigas do mundo que ainda está ativa.

A sua história começa no século seguinte ao da própria fundação da nação portuguesa, que foi criada dia 1º de março de 1290. A Universidade de Coimbra passou por várias mudanças de local, entre Lisboa e Coimbra, até que foi transferida definitivamente para Coimbra em 1537 por ordem de D. João III. Hoje se encontra instalada no Paço das Escolas (centro histórico da Universidade), espalhada em três grandes polos que estão divididos em oito Faculdades: Letras, Direito, Medicina, Ciências e Tecnologia, Farmácia, Economia, Psicologia e Ciências da Educação, Ciências do Desporto e Educação Física e cerca de 22 mil alunos.AuRpnxb6uFjozBHBb7I_CRokGSAucGZXoGv3AIJrUryVAk32DOL4Ft1BA5db2oEhTyQTSxh3RPD0TlJP2Uz0mO0V

A Universidade de Coimbra tem uma torre que mede 33,5 metros de altura e que constitui o emblema tradicional de Coimbra. Sua construção começou em 1728 e foi terminou em 1733. Acima do relógio da torre, tem um miradouro do qual pode se admirar uma panorâmica da cidade e do vale do Mondego. Nesta Torre, entre outros sinos, está a célebre “cabra”, que marcava a hora de despertar e de recolhimento dos estudantes.

AjbzwzLYdkrtjBH4-VhmW2OXj77awv7EpmqBawofujmFAuRpnxb6uFjozBHBb7I_CRokGSAucGZXoGv3AIJrUryV1223ddb8-5d08-43ae-b8b6-c4d19b7f477b0fbb6e92-82af-436d-9cc2-99255f24a503

Assista ao vídeo feito pelo Viajante Maricler na Universidade de Coimbra:

A notícia boa é que brasileiros podem ingressar na Universidade de Coimbra com a nota do ENEM. Ela é a primeira universidade estrangeira a aderir o Exame Nacional do Ensino Médio como forma de ingresso. As notas do ENEM tem diferentes pesos para cada curso. A pontuação é convertida para notas portuguesas de acordo com o curso. As mensalidades giram em torno de 700 euros (3.050 reais, atualmente).

Para mais informações, acesse http://www.uc.pt/brasil

Aveiro – A Veneza Portuguesa

O Viajante Maricler está agora conhecendo as belezas de Portugal! Mais precisamente, conhecendo a cidade de Aveiro, que é uma cidade belíssima, porém esquecida por muitos turistas. Grave erro!

761abe46-3a93-4378-8e4f-ae264e0a51ba

Aveiro é capital do Distrito de Aveiro e tem cerca de 60.000 habitantes. Os passeios de barco são possíveis graças a um dos mais importantes e belos acidentes geográficos da costa portuguesa: a Ria de Aveiro. A ria é resultado do recuo do mar, com a formação de cordões litorais que formaram uma laguna. A Ria de Aveiro é rica em peixes e aves aquáticas, além de ser importante na economia aveirense pela sua produção de sal. A ria é bastante utilizada para fins turísticos com os passeios dos moliceiros nos seus quatro canais urbanos: Canal Central, Canal do Cojo, Canal das Pirâmides e Canal São Roque. Os passeios duram, em média, 45 minutos e passam pelas principais atrações turísticas da cidade.

eb229ef9-f2a0-411c-ac10-d39ef7fc6213abb1c34c-79de-4fa6-8cde-7fcc46f959a18ce7af8d-6986-47cc-b057-183b05ab5d2d4e578006-742e-4fbb-9e83-6eebf5c79b14bafe09bc-19ad-4dda-af7a-94ff76148528110893ef-4b4c-4efb-ba47-2f7489e84454ef668c47-b91a-47f0-83e4-32589bc6fb7a

A cidade é jovem e ao mesmo tempo tradicional, com seus prédios, pontes, canais e as pequenas embarcações que os percorrem. Dentre os principais pontos turísticos da cidade, a Praça Humberto Delgado é muito utilizada como ponto de partida para um belo passeio turístico pela cidade de Aveiro. Pelas ruelas próximas ao Canal Central, podem ser vistos diversos prédios art noveau, feirinhas de antiguidades, Mercado do Peixe, antigas casas de pescadores e uma das mais famosas marcas da cidade, as casas de doces e seus famosos ovos moles.

c6bbd447-76f7-48b6-8a62-1297427d3e733a1db037-3ec6-41c9-8a81-15bd419335ca035391c3-5234-4f1f-b9d9-09f92cea9afe

Reza a lenda que no Convento de Jesus, em Aveiro, uma freira muito gulosa foi castigada pela madre superiora a fazer um jejum forçado, combatendo, assim, o pecado da gula. A freira, que era muito apaixonada por doces, fugiu do castigo e, tentando não ser pega em flagrante, escondeu a mistura de gemas de ovos e açúcar que estava comendo na massa das hóstias. No dia seguinte, suas irmãs do convento acabaram comendo as hóstias e acreditaram ser um milagre, um doce perfeito enviado por Deus. Assim é contada a origem dos Ovos Moles de Aveiro. De fato, os ovos moles surgiram nos conventos de Aveiro há cerca de 500 anos e a receita se espalhou, fazendo desse doce um dos símbolos da cidade. Hoje ele ainda é servido na massa de hóstia, mas agora é apresentado em novas.

3187978d-fa4a-482e-9015-5181bfa13befaf2c44a9-b02a-441d-be04-b64e2862f592b78ccb54-aa18-446b-9e68-4387bf7b895aae4077d6-7c9d-4f08-ba39-fc239b694f53

Passeios de bicicleta gratuitos, museus históricos e de art noveau, fábrica de porcelanas e muito mais você vai encontrar em Aveiro! Um passeio que vale a pena, do início ao fim. Continue acompanhando o blog para ficar por dentro das aventuras do Viajante Maricler.

Zurique – A metrópole das experiências

Zurique tem um pouco de tudo: sofisticação, viagem histórica e vida noturna muito animada. A cidade mistura modernos prédios empresariais e um bairro incrivelmente bonito, que conta a história de Zurique, conhecido como Alt Statd, ou Cidade Velha. Às margens do lago Zürichsee, cortada pelo rio Limmat e cercada por montanhas de pinheiros verdes, muitas vezes cobertos pelo branco da neve, está Zurique. Com menos de 400 mil habitantes, a cidade atrai turistas graças a sua gastronomia típica (e deliciosa!), seus bons hotéis e sua bela paisagem, além de também ser um bom ponto de partida para outros passeios pela Suíça, principalmente as montanhas dos Alpes.

zurique 1

Fonte: http://img.dicasdehoteis.net/

Zurique tem a maior densidade de casas noturnas da Suíça. Desde festas house music, a um encontro gay no Labor Bar. Além de festas diversificadas, muitas delas acontecem em ambientes exclusivos, como casas antigas e restaurantes lendários. As festas começam depois das 23h, mas não tem hora para acabar. No verão, as festas não acontecem somente nas boates, mas também ao ar livre.

Para quem se interessa por arte e história, Zurique oferece mais de 50 museus, sendo 14 deles dedicados à arte. O Museu Rietberg é um dos principais museus de arte não-europeia do mundo. Próximo da principal estação de Zurique, podemos encontrar o Museu Nacional Suíço, que se encontra num edifício de mais de 100 anos parecido com um castelo de conto de fadas, onde é contada toda a história cultural da Suíça. Já o Museu de Belas Artes (Kunsthaus Zürich) apresenta um importante acervo de esculturas, pinturas, fotografias e vídeos.

zurique 4 museu rietberg

Museu Rieberg

Fonte: https://www.stadt-zuerich.ch

zurique 2

Fonte: https://www.jt.de

Em Zurique ainda é possível visitar um grande zoológico, que conta com mais de 11 mil m², abrigando centenas de espécies de plantas e animais da floresta tropical de Masoala, em Madagascar. Também pode passear pela Bahnhofstrasse, onde podem ser encontradas as lojas das marcas mais luxuosas e exclusivas do mundo e os cafés mais requintados da cidade.

zurique 3

Bahnhofstrasse

Fonte: https://upload.wikimedia.org

Zurique Hauptbahnhof – a maior estação de trens da Suíça

A Hauptbahnhof (estação central), popularmente conhecida pela abreviação HB, fica em Zurique, é a maior estação de trens da Suíça e uma das mais movimentadas de toda a Europa. De lá partem e chegam trens que cobrem toda a Suíça e também os que vem de países que fazem fronteira com o país, como a Itália, Aústria, Alemanha, França e também de outras partes da Europa. Foi inaugurada em 1847 como estação terminal entre as cidades de Zurique e Baden. São 26 plataformas servidas por quase 3.000 trens e que recebem 400 mil passageiros todos os dias.

A estação não é só visitada pelos passageiros desses trens, mas também é um ponto de encontro muito conhecido em Zurique. O Trefpunkt (ponto de encontro) fica no saguão principal da estação e é identificado através do enorme relógio da Mondaine. Mas não se preocupe se a pessoa que você tinha que encontrar está atrasada. No saguão da estação sempre tem alguma evento acontecendo: uma banda, uma feira, uma exposição de arte. Nunca será chato esperar um trem ou alguém em Hauptbahnhof.

Restaurantes, farmácias, lojas de conveniência, caixas eletrônicos, mercado, banheiros com chuveiros e até um centro clínico permanecem abertos até às 22h na estação, o que facilita muito a vida dos viajantes.

Além disso, uma das peculiaridades dos trens que passam pela HB é a pontualidade: nada de atrasos, todos chegam e saem na hora marcada. Se o seu trem sai às 17:59, não invente de chegar às 18h.

Altstadt – Zurique

A Altstadt é o centro histórico de Zurique e reúne todas as construções feitas na cidade antes de 1893, desde casas medievais, até edifícios centenários com sacadas, janelas coloridas e bandeiras. As ruas são um labirinto de ruelas e becos sinuosos e estreitos, tudo de paralelepípedo. Ele engloba todo o distrito 1 (Kreis 1) e se divide em quatro partes. Duas delas ficam a oeste do rio Limmat: Rathaus e Hochschulen. Estas áreas são as mais populares e fazem parte da história medieval do centro histórico. As outras duas partes são Lindenhof e Stadt, se encontram ao leste das muralhas medievais e completam a parte moderna do centro de Zurique.

O centro histórico conta com modernas lojas, cafés e galerias, além de contar com muitas opções para curtir vida noturna, com muitos restaurantes, bares e casas noturnas. Para curtir bem a região, nada melhor que pegar um mapa e sair caminhando, sem ter pressa nem destino definido. Altstadt cresceu nas duas margens do Limmat, logo existem muitas pontes e passarelas que interligam os dois lados da cidade, proporcionando uma visão privilegiada da arquitetura.
Também em Altstadt, estão várias construções religiosas importantes como a St. Peterkirche, que leva o maior relógio de toda a Europa e a igreja Fraumünster, muito popular pelos seus incríveis vitrais assinados por Augusto Giacometti e Marc Chagall. Altstadt também abriga a belíssima Grossmünster, uma catedral que abrigava um convento e hoje é reconhecida por suas duas torres gêmeas.

Fonte: http://4.bp.blogspot.com

Würzburg

Würzburg é uma jovem cidade universitária no estilo barroco com charme sulista alemão e a hospitalidade da Francônia. Sua paisagem é marcada por obras primas da arquitetura de diversas épocas. A cultura, a arte e o vinho da Francônia são partes integrantes da vida em Würzburg e criam um clima que pode ser captado com todos os sentidos.
De longe, já é possível ver as duas torres da catedral de St. Kilian indicando o caminho para a cidade. Com uma extensão total de 105 metros, a igreja foi erguida pelo bispo Bruno em 1040 e é a quarta maior igreja romana da Alemanha.

Fonte: http://www.blaek.de

Fonte: http://supload.wikimedia.org

A localização da cidade não podia ser mais elegante: nos dois lados do Maine em meio a vinhedos, uma paisagem que por si já é uma razão válida para visitar Würzburg. O vinho cultivado na região é outro atrativo. O Bocksbeutel, com sua típica garrafa achatada e arredondada nas laterais, é uma marca registrada da região. Não se sabe exatamente se a referência da forma da garrafa foi inspirada no formato dos cantis, mas, de fato, ela tem uma grande vantagem: essas garrafas de vinho não rolam.

Há outras formas de adquirir cultura pela cidade, como por exemplo nos notáveis museus. Um deles fica na fortaleza Marienberg. Nele está a maior coleção de obras em madeira do famoso entalhador e escultor Tilman Riemenschneider. Outro grande museu que também apresenta obras desse artista é o Museum am Dom, que expõe cerca de 300 quadros e esculturas do último milênio. O Museum im Kulturspeicher, no antigo porto, são 3.500 metros quadrados com obras ainda mais modernas, desde o século XIX até a atualidade. Arte do mundo inteiro é o que mostra também o premiado museu Kulturspeicher, com a coleção Ruppert. O laboratório de Röntgen, conservado com os equipamentos originais de raio-X, também aguardam sua visita.

Fonte: http://germany.travel

Fonte: http://supload.wikimedia.org

Prepare seu roteiro e não deixe de visitar Würzburg!